Surdo, cego, mudo…

O que me fazia pensar que você me amava,
o que me fazia tão ingênuo ao ponto de não enxergar,
o que estava na cara?
O amor.

Amor cego para os fatos,
surdo para os relatos,
mudo para as respostas.

Respostas, até aquele presente momento, idiotas de serem dadas,
respostas sem sentido,
críticas, até aquele momento, eram, de fato, idiotas.

Somente por uma razão
eu não respondo a questão,
o amor.

O amor me fez,
idiota, surdo e mudo.

Mias uma vez o amor me faz de idiota,
desta vez, de alegria,
com tanta nostalgia,
fico feliz em poder abraçar
o fruto de um relacionamento
que ficou surdo, cego e mudo
para a inveja de que nos via felizes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.