Meu mundo paralelo

Andei vagando pelo tempo,
e chutando devagar pela rua
a lata das horas.

Vagabundiando meu destino,
eu fui levando…

Nessa vida onde tudo atormenta,
eu com nada mais me desespero,
quero é desestressar,
calar o cuco e me fechar,
no meu mundo paralelo ficar.

Chutar o balde do tempo,
e da correria do dia-a-dia
me distanciar.

vou chutando a lata das horas,
apagando novas auroras,
esquecendo quem sou.

E mudo, confuso,
me trancarei no quarto da alma,
e só sairei de lá,
quando o meu mundo paralelo se consolidar
sobre esse mundo de vivência
controlada por uma máquina.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.