Eis a questão

Eis a questão, você confunde a paixão
eu não te entendo porque você grita comigo
e você grita comigo porque eu não lhe dou atenção

Eis que a confusão está formada
você fica emburrada, no canto calada,
eu sem saber o que fazer
se foi algo que eu disse ou deixei de dizer…

Eis que a situação não tem fim
você aí e eu aqui
por longos dias a rotina é assim

Até que bate a saudade no peito
aí não tem jeito
é o calor e o desejo que falam mais alto
mais alto até do que não foi dito ou feito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.