Carta ao coração

Fundo da alma, quando não dá mais pra segurar,

Presado amigo do peito,

Não sei qual o seu problema, mas me incomoda muito que eu participe dele sem poder fazer nada. Você me obrigado a sofrer contigo e a partilhar de emoções que eu não gostaria. Não sei o motivo pelo qual faz isso comigo.

Se quer me exclarecer algo, por que não me diz de uma vez? Você quer que eu decifre coisas que não consigo nesse momento, seria tão simples me dar um sinal claro e objetivo das suas intenções…

Não sei porque tenho que sofrer por suas mudanças de estado, aliás, não quero… Tem outro comandante lá em cima que não concorda com as suas pirraças.. E sabe, acho que concordo plenamete com ele, talvez, não sei, por ser mais direto, por me dar pistas concretas de que aquilo que faço não está certo… Ele reclama comigo diretamente, a cabeça dói e, quando isso acontece, sou obrigado a parar tudo o que faço por não agüentar com as reclamações dele, e pensar… Mas você, caro coração, não quer nem saber que tenho uma vida pra seguir, e reclama baixinho.. Sinto sua dor mas não consigo cessá-la.

Dei-me uma ajuda e diga o que pretende com suas dores profundas, das quais não posso curar, pois sua dor me atrapalha o convívio e sabor de uma vida inteira pela frente…

A vítima de um coração doente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.