Sopro de saudade

Quem sabe outra hora
não me bata a saudade
da sua presença e eu volte?

Por ora, não espere
que eu regresse pro seu modo de vida
pois, essa que arranjei, apesar de sofrida,
é em paz, como aí não se faz
já que tudo pra ti vira um absurdo

Como o maior dos seus medos
é a saudade que aperta o peito
não vi outro jeito, senão lhe escrever

Minha vontade seria o seu cheiro
mas, toda vez que me lembro
de quem por tuas bandas vive,
e quantos momentos bons
eles tornam tristes,
resolvi soprar notícias

Um beijo pra suas meninas
e um abraço para o compadre
cuidado com as ervas daninhas
que te cercam
não deixe que elas te desgracem

2 comentários sobre “Sopro de saudade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.