Troca de energias

Hoje não se quer mais ouvir, um amigo já não divide com você todos os seus sentimentos, preocupações, alegrias, conquistas ou derrotas. Agora chegamos na era da troca de energia, saimos da divisão, para o particular, o fechado, o solitário, ou, se não, negociamos nosso tempo e nossa disposição de divisão.

Barganha-se os sentimentos, as sensaçôes: Ouça-me enquanto falo, desabafo sem folego, e digo e repito todo o meu tormento, o que me aflige. Aconselha-me, seja o meu guia, ande comigo, mas não diga nada, agora sou eu que preciso de ajuda.

Se você for forte o suficiente para apenas ouvir lamúrias, cale-se, sente-se e ouça seu próximo até que lhe esgote a saliva, e nesse micro instante de pausa, responda com a cabeça um “Eu te entendo e prossiga” até que tal pessoa se vá e nem chegue a perguntar como você está, ou simplesmente se precisa de algo.

E, quem sabe outro dia, o ciclo se inverta, pois que ajuda mutua não existe mais. Agora isso é o que vale: eu te ajudo e amanhã preciso ser ajudado…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.