A conversa silenciosa

Venha aqui e sente do meu lado. Quero ouvir você dizer que não está preocupado com as horas hoje. Quero que você sente e relaxe, respire fundo e aspire todas as energias que te pesam o corpo. Diga-me, além de seus conflitos sentimentais, os seus sorrisos de felicidade justificáveis por um momento inesperadamente alegre de encontrar alguém que não via há muito tempo. Quero olhar em seus olhos e ver a força do brilho intenso da sua vitalidade e garra. Do seu rosto simples, a insegura de levar poucos e brilhantes anos da vida. Não foi um roubo, foram bons momentos vividos e aprendidos em sua essencia para se tornar o que hoje você é. Mas, sentado a minha frente não é bem isso que penso em dizer para uma das pessoas que mais me fez crescer até agora. Eu não quero dizer nada, porque nada tenho a dizer, prefiro observar.

2 comentários sobre “A conversa silenciosa

  1. Adriel Mocellin (Morceguinho hehe) disse:

    Muito Obrigado Jefferson, por você fazer dos meus dias sempre melhores… por mais da distancia, te agradeço pelo simples fato de saber que tenho um apoio, um braço direito que sempre vai estar ali para ajudar e compartilhar sempre que precisar, pode contar comigo também.
    Seus poemas não são so poemas mas sim POEMAS! que invadem a alma… continue assim e muito sucesso!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.