Trincheiras

Beijai minha boca com o ardor de ser o último beijo de tua vida
sejas tu minha novamente como pela primeira vez
entregai-te, amor, sem escrúpulos, sem fronteiras
que minha estada nas trincheiras pode ser meu último ato de coragem
tenhas tu a arma de me fazer o homem bobo e infantilmente risonho mais uma vez
a finalíssima e a primeiríssima que eu deixei o tempo levar
o tempo agora permite que venhas regrassar
para que caso eu venha a suspirar, que seja por ti…

Um comentário sobre “Trincheiras

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.