Negligências

Eu tenho saudades dessas risadas, dos abraços e palhaçadas
que vivemos juntos, que fizemos juntos, até as altas horas da madrugada
eu tenho saudade da nossa juventude, da nossa mocidade
que foi tão cedo…. Agora é tarde pro meu desespero

De continuar rindo, e zombando da vida
que agora, nessa nossa idade envelhecida,
zomba e nos ensina a ser homens maduros

Eu tenho saudade da nossa negligência
que apesar de ter sido tamanha e horrenda
quando a fazíamos, o mundo valia a pena

Mas agora, pelo mesmo motivo que rimos,
viemos a refletir, e não é que os dias ao partirem
levaram repartidos pedaços de nossos jovens seres
para a enternidade?

Solitário

Por que voce ri sozinho, eu vou dizer
por que você chora sozinho, eu vou contar
por que você se fecha, com a cabeça entre as pernas
eu sei, você sabe… não quer perceber

Se joga num canto do quarto, choro abafado
soluço cansado… de sofrer, angústia de ser
de ser apenas você, é só isso, ser sozinho

Isolado, carinho, todo mundo quer
mas quem tem hoje, agora?
você bebe as próprias águas d’alma
porque alguém subiu um tom com você

E isso já te fere, porque os solitários,
não ouvem mais os sons da manhã
não escutam mais as vozes
só vagam na própria escuridão

Já não suportam sair de si
já não aguentam mais a luz do dia
ou a voz fria de qualquer um
querendo seu coração