Mulher da noite

Eu tenho cara de bolero, de valsa, de dança?
eu tenho essa marcha nupicial no corpo
esqueça as canções as melodias, tudo isso
deixa seus olhos acompanharem meus olhos,
suas pernas fraquejarem nas minhas pernas
sua boca secar ao ver minha boca umedecida

Cantiga desenfreada, um tanto encabulado, enfeitiça
feliz ou carente, procura contente meu corpo dançante
valsante, melancólico, utópico

É o corpo servindo de copo para a sua bebida
é a fumaça ofegante da minha maquiagem a te impregnar
é o meu silencio que não desce, sólido veneno
entorpecente homem carente que quer beleza paga

Fantasia privada para ser feliz
bolero ou cigana, a dança por um triz
coloca seus sentidos e sentimentos na roda
e quando se aproxima para pedir um trocado
uma recompensa pelo serviço prestado
fascina e enche de adrenalina e esperança
um coração apaixonado

Um comentário sobre “Mulher da noite

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.