Elizabeth

Tu que és maduro, sabes bem que amor seguro é o melhor que há
para que as inexperiências das minhas jovens colegas
se homens de quarenta já sabem transar?

Sei que pretendes alegrar-te com submissão e dor
desfalecer corpos jovens, sendentos de calor
mas não sejas covarde, venha para o seu nível

Se conseguires me calar de prazer, prometo-te,
não precisarás me pagar, venha, não seja covarde
sei que minha cama arde, não tente vingança

Se vives só, que culpa têm minhas colegas de prostíbulo?
Sabes bem que elas não suportarão sua selvageria masculina
Tenha coragem, se esta arte é ousada, venha me fazer essa graça
Teste a si mesmo

Ponha seu membro firme para brigar com a minha arma firme
Quero ver quem vai ganhar, eu insisto
se quiseres um desafio, eu deixo por conta da casa

A minha maior recompensa, minha maior graça
será te derrotar no seu mundo, sou fera, tenho vida
essa dívida quero acertar, não cometa injustiça

Seu corpo, minha carniça, eu quero praguejar
eu vou diminuir sua petulancia,
de achar que comer estas pobres crianças
é motivo de se orgulhar

Só para se gabar para os seus amigos
que as prostitutas do meu prostíbulo
não conseguiram te aguentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.