Brincadeira de criança

Brincava de polícia e ladrão
hoje em dia as armas de plástico
são ameaça às crianças, incentivo ao tráfico

Brincava de médico, examinava bonecas
media sua pressão e ouvia seu coração
hoje em dia o médico brinca comigo
se vou no consultório, sou pressionada
a nada revelar aos meus pais

Brincava de bombeiro
quando vejo as crianças de hoje
fogo tem novo sentido, outro desejo

Brincava de amarelinha
hoje, se pulo fora da linha
se amarelo nos meus medos infantis
levo tiro no peito por covardia

Então todos os meus heróis aparecem
o policial registra o suícidio
o médico libera o corpo
o bombeiro apaga as chamas do carro

Só porque não amarelei num pega
e joguei meu carro ladeira abaixo

2 comentários sobre “Brincadeira de criança

  1. É verdade…
    Lendo esse poema eu começo a pensar o que passa na cabeça de uma pessoa em um momento como o de um pega? Muito complicado…

    É tudo questão de um momento… Antes pouco se pensa… Pouco se pensa na mãe que sofrerá a perda de um filho… Pouco se pensa na esposa que fica viúva… Pouco se pensa no amigo que perderá seu amigo… Pouco se pensa…

    Pouco se pensa depois… Ou porque nada aconteceu e continua-se sem pensar, ou porque não há mais o que pensar…

    Penso que devemos pensar mais.

    Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.