O estrangeiro

Tentei por vezes
encontrar amores de verdade
cansei da solidão da minha mente
ela às vezes não sabe tanto de mim

Tentei por vezes buscar um mundo novo
novas descobertas, novas alegrias, novos sorrisos
novas também, eu sei, tristezas que todo mundo tem…

Exerguei você, o planeta mais próximo da minha órbita
fui pousar no seu mundo, sem pensar em nada e fazer impulsionar
o pulsar de seu coração, também solitário….

Percebi tarde demais que meu mundo valia a pena
porque conhecia cada detalhe, cada caminho,
cada pedra que pisava, cada arma que possuia

No seu mundo não,
No seu mundo não,

Eu não sei seu caminho
Eu não sei suas pedras

Eu só sei das suas armas
elas me renderam um mundo novo

E eu me sinto um estrangeiro…

10 comentários sobre “O estrangeiro

  1. MA-RA-VI-LHO-SO!
    Você é tremendamente genial em seus escritos. Poesia!

    Confesso que eu me senti feito estrangeira, tal qual a identificação com o poema!

    Lindo.Lindo!
    Adorei!

    Beijão, saudações da Lua e ótimo fim de semana! 😀

  2. É… Não é bom se sentir um estrangeiro na vida de outra pessoa… Não precisa nem ser um romance…

    É importante chegar no planeta alheio e sentir como se aquele fosse o seu próprio… É isso que faz a diferença!

    Mas se cessarmos nossa busca por um mundo novo, não o encontraremos, então, devemos nos esforçar! Força!

    Abraços =]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.