Segundos

A nuvem preguiçosa não andava no céu.
O menino não chutou a bola ao gol.
A noiva que não vestiu o véu.

Meus pés que não caminharam ao trem
A pena que não escreveu a  carta ao amor.
O amor que não beijou a boca que o esperava.

O número que não calculou a forma matemática.
A força que não foi aplicada ao corpo em queda.
A bailarina que não terminou o giro no ar.

Tudo parou, e eu, até de respirar:
Não consigo viver mais nada a partir da data
que você deixou de ver….

E os meus olhos, lacrimejados,
não deixaram cair a lágrima que você provocou…

Segundos agora são horas,
horas viraram dias; Semanas, meses.
Meses viraram anos, e os anos….
Não passam mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.