Escolha

Eu escolhi te amar, mesmo sem saber quem é você
Eu sei que é estranho, não dá pra negar,
mas, convenhamos, que simpatia e afinidade
ninguém compreende

Ou você entende, ou você vive:
A primeira opção, se insiste, é em vão
a segunda não nego, não, é difícil,
é como cair ao abismo sem intenção

Ninguém nota no homem, hoje, ninguém nota
coisas que antes se anotava com frequência
o ser de hoje mora na abstinência da solidão…

Eis então a fobia do próximo
de juntar as mãos: Calma eu não te puxo pra baixo,
não é essa a intenção

Eu chego por pura e espontânea vontade
de quem faz arte com o coração,
e o meu objeto de estudo, de inspiração,
se não for o outro, ao meu lado,
é-me até uma contradição

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.