Envenenamento II

O amor, pai e mãe de todo sentimento
é antídoto e veneno em nosso ser
porque nos é entregue para doar.

Não é nosso nem quando achamos
que temos esse direito

O amor é do outro e para o outro
assim como qualquer sentimento;

Não somos seus donos
apenas somos pontes.

Quando contraímos para nós
aquilo que é de outro
certamente que nos envenenamos

E essa ação em cadeia tem matado
homem por homem por dentro,
por puro egoísmo

Pois cada um preserva o que não é seu
e espera do outro o amor que ele
teria que doar, o antídoto

Mas cada um tem se transformado
em suas próprias cobras
produzindo o amor do outro
e se matando por aquilo que deveria salvar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.