Motivos dos meus versos

Reclamei por tantas vezes a minha falta de inspiração,
outras vezes, questionei minha falta de musicalidade,
muito mais ainda, minha ausência de rima
pois acreditei simplesmente na essência divina da poesia

Tentei uma palavra ali e outra aqui
rabiscando linhas e linhas de caderno
para encaixar em cada verso, em cada estrofe

aquilo que exprime o que eu quero

O sentimento é ainda mais importante
ainda mais sublime que a métrica
primordial até mais que a forma do poema

Tentei uma palavra ali e outra aqui
para o poeta também, indo além,
se fazer ver pela beleza dos olhos
que correm estrofes com conforto

E eu feito aprendiz das letras
brigava com a inspiração e a rima,
brigava com a musicalidade da estrofe,
e com as gramáticas engessadas
pelos significados do momento

Que serão sempre, e a priori,
o motivo dos meus versos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.