Aceito

Ah, então a vida nos surpreende
assim, de qualquer jeito,
a qualquer hora, não manda recado

Não marca na agenda dias especiais,
nem ordena uma hora para as coisas boas
não convida para a feliciade, nem nada

As coisas acontecem, simples e naturalmente…

Você me aconteceu de fato, em um vinte de junho
entre 20 e 21, às 23 e uns qubrados…

E já chegou anotando na minha vida
a sua vida, que aceita com tranquilidade
as várias habilidades daqueles que vivem

Sem frescura, você disse,
como se não se importasse
com aparências, nem com preferências…

Você convive com pessoas, qualquer que seja,
não importa, não tem receita, não escreve
os moldes do humano…

Compreende cada jeito, cada tom, cada dom
de quem vive do modo que escolheu. E você,
você sem interferir faz do outro parte
do seu sorriso, do seu momento, e se alegra
convive, assiste, insisti nas amizades

Sinceras, as nossas conversas francas,
sem restrição, são motivo de conforto, e
também, de orgulho, por ser um homem
com alma de menino puro, daqueles que abrem os braços,
e diz ao amigo:

Vem aqui, te aceito assim como é…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.