Mil vidas

Quanto tempo esperei, finalmente você chegou,
de onde não sei, mas não me abandonou…

Disse que estaria comigo, não falhou,
sua palavra dada foi cumprida,
coisa que a nenhum de nós dois
o destino explicou

E hoje está aqui firme e forte,
assim como um golpe de sorte,
a vida nos mostrou
que amigos de vidas passadas,
passadas várias vidas, não tem nada,
continuamos amigos

Só que essa sua casa nova eu não conheço,
esse semblante eu não reconheço, desculpe,
até seu nome atual desconheço, me é estranho

Mas eu sei: O que nos une vem mais forte,
vem mais firme, mas ainda não descobri,
nem por mim, nem por ti, o que é colorir a mente,
devolvendo as memórias que em outrora estavam gravadas,
mas o tempo, sábio, apagou

Queria muito entender o porquê de tudo isso
saber quem fui, e o que você está fazendo aqui,
e porque chegou tão de repente, por que não avisou?

Será que eu esqueci?

Obrigado então pelo milésimo de segundo
em que pude resgatar o meu passado escondido,
e rasgar o vício da carne humana para colocar,
alocar meu espírito em curso, no curso de mil vidas;
pra servir a uma missão bendita de amor e proteção

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.