Às vezes, poesia

Fonte: Google Imagens

Eu nunca quis lhe comprar com a poesia
esse não é o meu intento, poesia é gratuita,
a esse texto rendo o sentimento e um lamento,
um pranto, um riso, uma preocupação, um tormento

Eu nunca quis lhe convencer de nada, pretensão alguma,
na poesia apenas um depósito do meu momento,
leitura que se faz de um sentir palpável

Eu nunca lhe escondi qualquer parte de mim,
se assim por dizer, você sempre obteve sinceridade…
Antes um blefe pra mostrar minha capacidade de fingir,
mas eu não sei mentir, e transformar em vaidade,
nem mesmo omitir certas verdades, não consigo

Eu sempre fui fiel ao que sou, à lágrima que escorre,
sempre obedeci ao coração apertado, à frustração, calado…
Resignado de minha missão de poeta, manipulador de palavras,
sem manipular sequer um significado

Eu apenas transmito, cumpro os tramites da poesia
que exigem do poeta uma entrega, uma companhia,
entre palavra, verso, sentimento e rima

Às vezes, agonia
às vezes, poesia

2 comentários sobre “Às vezes, poesia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.