Atestado de utopia

Ora, se é o que brota aqui dentro
se é o que nasce aqui dentro,
se é aqui dentro que fica por horas

Ora, se é por aqui que versam os meus sentimentos
se é por você que vale o que vem sendo escrito,
se esse pensamento me é entregue por idealizar,
mesmo criando expectativas nascidas da ilusão…

Ora, mesmo que eu erre, e sofra por isso,
mesmo que a tentativa me leve ao fracasso,
ainda assim é arte, ainda assim é vida

Ora, se você me ensina a pôr o pé no chão,
e mesmo que você tire o pé da lama,
ainda assim é arte, ou não?

Será que os teóricos da poesia,
estes grandes mestres que você decora,
ora, mesmo que eu não os suporte,
será que eles negariam a minha dedicatória?

Ora, porque se está aqui comigo
é porque fez chegar até mim o apreço,
ou será que enlouqueço e fantasio?

Se é assim, que nome eu dou, que título?
Por enquanto, que me diz você do meu intento?

Se por um lado demonstro que você é digno,
e se por outro reafirmo o meu atestado de utopia
por acreditar na alegria de lhe escrever…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.