Quimera dos descrentes

Eu que compunha sozinho
quero romper esse vazio
e escrever com você
coisas que só a alma pode dizer

Eu que versava o frio e a dor
sem saber, o amor me chamou
e dada a mão, a esta canção
só o resta o refrão dos amantes

Que delirante essa companhia
chegando na hora certa,
quimera dos descrentes,
é, a gente provou de um sentimento
mais que convincente…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.