Seleção

E no meio da multidão
eu sou mais um, ou talvez não
só pra satisfazer meu ego

E no meio de tantos problemáticos,
os meus problemas são coisas de um louco,
lunático, que ainda não amou

No vão de tantas percepções,
o meu mundo ficou parado,
estacionado em métodos de seleção

E quem disse que o coração agüenta
esperar essa jornada até o capitulo final,
se cada dia que se passa sozinho é uma eliminação do amor?

Quem é que agüenta ter o prêmio para entregar por tantos anos,
e tantos anos sem um vencedor?

Confirmando a todo instante que estamos perdendo o jogo do amor,
– vendo a vida ir – tentando ganhar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.