É, bem isso!

Eu nunca provei desse gosto amargo
de um ódio que já foi amor;
Eu nunca me coloquei do lado contrário,
da outra metade que foi estagnada e estragada

Eu nunca estive nessa situação
de querer distância de quem desejava estar perto

Distancia de mim, eu te peço, distância!
O que é isso que eu sinto por dentro?
Repugnância do amor que eu tive – e não estive –

Que loucura é essa que se instala,
sombra que se propaga diante da luz,
apaga de mim o desejo de um dia provar
o seu beijo, – logo eu que sempre gritei:

– É bem isso que me conduz!

Agora inconfundível é o avesso do amor,
é o desprezo do carinho…
A chance de ser feliz sozinho
me encantou…

4 comentários sobre “É, bem isso!

  1. Marta Vaz disse:

    Lindo demais! A chance de ser feliz sempre estará em nossas mãos. Sejamos livres, sejamos felizes! Te amo, Poeta! Beijo carinhoso! M.V.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.