Olh(ares)

Gosto de olhar nos seus olhos
profundo e próximo do que você é
Gosto de ser certeiro sem saber nada,
ver o seu mundo inteiro concentrado

Centrado fico te observando
com o meu mundo se abrindo
para refletir seu mundo fechado

Não quero justificar nada
absolutamente nada que venha de você,
eu não quero descobrir se o que eu penso,
pressuponho estar correto, não é isso, não

Eu só quero viajar no caminho dos seus olhos,
criar a sintonia e a ponte entre dois horizontes,
sul e norte que se encontram, note que nada disso,
eu reafirmo, nada foi combinado, isso é um acaso

Acontece que são tantos os casos que me colocaram aqui,
frente a frente, apesar de ser diferente de você,
ter outra história, ter sofrido na minha trajetória
agora é hora do meu coração acelerado dizer:

Que olho no fundo do futuro que eu preciso,
correndo riscos de ser preciso quebrar paradigmas,
decifrando muito mais que duas ou três belas rimas,
viver pra ver a vida me presentear com a poesia de ser você

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.