Caminhos abertos

Não há mais nada a resgatar,
as tuas cartas eu já rasguei,
a nossa amizade já anda sem sentido,
e eu tenho sentido bem menos

Já não há drama, nem martírio,
tu não és mais andarilho no meu coração,
e eu já não mendigo mais tua atenção

Acabaram-se as nossas conversas,
o que nos ligava era o platônico,
amor, acabamos com esse laço,
o fim de uma era que se desliga

Há agora em mim ainda mais vida,
os caminhos estão abertos,
ficastes para trás em minha história,
fostes à outra direção, contrária,
e isto não me contraria mais

Nem abala os meus instintos,
e não, não ousaria agora
chamastes de inimigo,
mas passastes a apenas conhecido,
a quem eu tinha grande estima,
mas não vou mais deter minha autoestima
por ti

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.