Tentativa

Claro que podemos voltar naquela conversa antiga
podemos, sim, claro, por que não, bater na mesma tecla?
Há alguma regra que nos impeça de voltar ao passado?
Será que devemos abraçar o clichê de não reviver pendências?

Pode falar do outro,
você sente ainda falta, não é?
Ainda não seguiu adiante por isso

Insiste mais um pouco em se machucar
que mal pode ter em querer sofrer?
Quem foi o juiz que determinou
prazo de validade para se esquecer…

Eu sei o quanto você ama
mas não quero ser repetitivo
palavras de amor o tempo todo
cansam o corpo, a mente e a alma

Calma, não estou lhe cobrando
não há juros na vida,
não se preocupe com tempo perdido
o tempo é daquele que se sente vivo

Eu não peço que você deixe de chorar,
se é que você ainda tem essa vontade,
não precisa negar, não economize água.
Ela sempre volta à natureza

É da natureza de quem ama o sofrimento
simplesmente no momento em que se ama
apenas de um lado, é um fato

Ainda assim é amor, meu caro
ainda assim é amor, é seu amor
é o seu amor, mas o amor é seu
mesmo que ele tenha lhe abandonado
mesmo que ele tenha abortado
o amor puro que a ele foi doado

Você não foi doido por ter tentado,
ora, não fez nada de errado,
e essa dor que você sente…

Não adianta, não mente,
só a está sentindo
porque, no mínimo,
apenas o ato de tentar
valeu a pena

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.