Partida de ego

Mesmo quando se tem todas as cartas na mão,
com tudo pronto pra encerrar o jogo,
levar a mesa inteira, rodada rasteira,
prefiro o blefe da verdade

Sei que posso ganhar,
mas estou retirando a aposta,
dobrei tudo até o último minuto
para perder de propósito

Pensei melhor, nem todo jogo
a gente tem a obrigação de vencer.
E vou dizer uma coisa:
Não é questão de poder

Vale a pena tanta espera,
tantos momentos de tensão,
vale a pena as incertezas certas
das cartas na mão

Vale a pena colocar quase tudo na mesa,
comprar outras tantas de naipes diferentes
sabendo que eu poderia encerrar bem antes
esse jogo que não é prêmio do coração

É por respeito que eu passo a vez
sei que mais uma vez estive perto,
mas não vou embaralhar mais a sua vida
por mais que conserte a minha
só pra te ter por perto

É então um momento de ego…
Frear o meu para não deixar o seu
ainda mais aberto, exposto, decerto
que no fim de tudo, adio minha vitória
vou te dar vitória para que em outra hora
possamos nos perder juntos, eu espero

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.