Conversa franca

Precisamos conversar
sentados frente a frente
preciso contar algumas coisas:

A gente sabe a situação qual é,
a franqueza sempre foi a nossa medida,
nossa primeira norma-obra-prima
de qualquer relação, bem sabe

Que o papo não precisa ser dramático,
nem tão sério, nem penoso, sufocante;
Realmente a gente conseguiu outra solução,
amenizando sofrimentos e torturas vãos,
nãos entre eu e você: Não

Jogo aberto é jogo limpo,
o que acontece com você,
o que acontece comigo,
o que acontece com um amigo,
o que acontece, filho?

Conta conjunta dessa vida,
sem revolta, encare e aprende;
não há “a vida filha da puta”,
mas há covardia adulta quando tratamos
tudo como crianças

Encara de frente o seu momento,
o nosso problema; precisamos
da saída para o que você precisa
para não causar a saída um do outro
de ambas as vidas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.