Por homem

Hoje distribuo poema,
ofereço saudade,
oferto abraço,
doo amor

Hoje tenho lembrado
do bem de ontem,
de como é merecido
o riso de canto a canto

Hoje me permito
ser sincero, ser honesto,
presto-me a viver sem protesto,
sem pudores do ego

Amo e amo sim,
esse seu fingimento
de constragimento por mim
quando digo o fato,
no ato, encantado,
mostro o outro lado
da face do amor

Mostro que posso, sim,
amar outro homem,
e que de homem tenho fome,
e por homem tenho sede
e por homem, a delícia,
o apreço e o beijo
revela-se e prevalece
a verdadeira parte de mim

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.