Meio a meio

Enquanto você namora
eu sou outra história,
mas se o romance vai pra escanteio,
eu sou seu amigo do peito

Se o relacionamento é perfeito,
não me procura; mas, se entra em conflito,
sou o amigo que tira o perigo da depressão

Se reata, viro de novo sucata da contradição,
nos revezes da vida, estou lá em cima,
mas se não precisa, estou só na solidão

Enquanto sou consolo, tudo bem,
mas se eu precisar de socorro…
Sou o tempo que não existe,
você, apaixonado, vivendo de encantos…
Eu pelos cantos, esperando sua recaída,
pra quem sabe, na saída, você me dê a mão

Ombro amigo só para os problemas seus,
se forem meus… nada de mão amiga,
a paixão cuida de você, e eu, cadê,
nem compaixão…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.