Indigestão de pessoas

Se eu vier a esquecer que somos humanos
e cometermos o grande engano prisional
do relógio, da hora marcada, do dia improrrogável,
da ocasião inquestionável, se preso nas vias da burocracia,
protocolo que não se retifica…

O ganho da condição humana, falha e necessitada,
que precisa não de brechas, mas do escape do imprevisto,
da flexibilidade daquilo que no processo não pode ser lido,
circunstâncias da vida, da vida de um individuo
que não cabe em matrícula, não cabe no número,
não pode ser o humano por banal identificação!

Se eu vier a ser humano de novo,
aquele que adoece, por menos ainda,
aquele que muda de planos,
em cima da hora quer fazer diferente,
não dialoga com o roteiro…
peço em nome da máquina pensante
um instante de humanoide,
por sorte, vou poder sorrir
nova mente….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.