Teu amigo

Quem retorna ao teu afeto,
afeta o teu afeto novo
porque, veja, um afeto antigo
quando permanece invicto ao tempo
há tempo paralelo, afeto atemporal

Quem retorna ao teu abraço,
abarca e alarga o teu sentido,
sentido de alegria ou tristeza,
sentido há no retorno

No entorno da lembrança,
ânsia de um tempo interrompido,
um hiato que não deveria ter tido

Quem retorna ao teu carinho,
separa o joio do trigo,
quem lembra de ti de fato
é seu verdadeiro amigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.