(des)caso

Eu não sou adivinho,
mas, adivinha do que eu ri hoje?
do futuro que eu previa,
mira a minha intenção,
não, não é fazer chacota, não,
é só uma constatação…

Vou rindo, vivendo, vou vendo,
eu mesmo, não me vendo,
me envolvo no que dá agrado,
não quero mais o fardo,
só o sorriso largo,
estou farto, falho,
mas, minha alegria acerta,
aceita e se presta,
a rir também do ridículo,
sou fixo e volátil,
quando for o caso,
para o caos, o descaso.