Não atrapalhe – o silêncio –

Que o dia não nos obrigue
a ficar provando nada a ninguém,
pois, se cada um toma conta de sua tarefa,
é certa a falta de tempo para pesquisas alheias

E se der conta do seu próprio servir,
sirva mais, de outras formas,
antes de vir a mim
dizendo que não faço nada;

A fofoca é praga perigosa
que destrói a horta das boas amizades,
apodrece o respeito e a admiração

Cada um cuida do outro
de um outro jeito que você não cuida
e é por isso, que mesmo na labuta,
as pessoas buscam a todos nós

Pois, que cada um tem uma forma distinta
de desatar os nós da vida,
acolher o outro,
e ajudá-lo a dar a volta por cima

Eu peço, antes de tudo,
que se o desconforto comigo for grande,
não se adiante a comentar com mais ninguém

O silêncio do insatisfeito é falta de respeito
quando não dito a quem se deve,
usando terceiros de escudo

A alma humana tem tantos atributos para serem descobertos!
procure o que fazer, antes de dizer palavras infundadas,
cada um dá o melhor de si nessa experiência abençoada
e eu não desejo mais pra mim, outra palavra confiada,
a não ser – “silêncio” – para a vida perturbada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.