Descartado

Primeiro foram os elogios que deixaram de vir
quando eu percebi em você uma mudança de postura
na verdade, foi minha culpa, o primeiro olhar de encantamento

Lamento, mas depois foram embora os presentes
que não faziam mais sentido, no vazio que se instalou

Partida, seguida, os encontros mais espaçados,
o palco que eu não quis montar,
a sala que eu não quis fazer,
o ego que eu não quis mais levar

Descartei planos e sonhos com atitudes,
me despindo de todas as ilusões que eu me achava imune,
não fui,
mas,
deixei você ir

Rompendo mais do que abraços, mais do que carícias,
cortei sentimentos sem sentido de duas vias
ainda te encontro em primeira linha
austeridade da poesia que se conserta
a medida que não suaviza a alma

Cala e acalma
coração que se fecha
deixa sempre outro acesso,
uma brecha de paz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.