Cuidado divino da vida

Diante das mudanças,
para vida solicito esclarecimento
e a todo momento que as aflições que me atingirem,
não sê triste;

Oh vida, amplia meus pensamentos,
em auxílio pequeno que eu possa conceber
vindo de você, tão linda a me ensinar
a ser aprendiz

Aquilo que um dia eu fiz
cometendo qualquer equívoco,
é pelo vício de acertar e ser melhor

Eis que vim do pó, e que a evolução se faz constante,
aceite o meu momento de latência terrena
e me elucida com as experiências que a vida resguarda,
acima e antes de mim, bem antes do tudo e do agora

Oh vida, se abra as portas do conhecimento,
tece em mim, pelos fios condutores da transformação,
a reação renovadora que me solicita a existência

Coloco-me á disposição da consciência da vida
que tudo sabe, tudo rege, tudo agita, e tudo compreende
para prestar socorro a qualquer momento,
utilizando das minhas mãos, das minhas falas,
das minhas atitudes, aquilo que, com plenitude,
se solicita

A paz de espírito e a calma da atuação,
me conserve de pôr em prática…

Qualquer intenção que eu não possa medir no hoje,
mas se agiganta no amanhã, que a Deus pertença…

Cuido da minha gente,
cuida de mim,
cuido do que posso,
cuido por servir à vida,
a vida que cuida de todos nós

Hoje eu não sou o eu de ontem,
e do amanhã não sei;

Hoje eu tenho a prece
e que não se apresse qualquer
amém

Óculos ímpares

Deixo os pares de óculos sobre a mesa
tenho outras visões.
De qualquer maneira, não se enxerga
o que é preciso ver
diante das lentes não mais tão grossas do ser

A minha alma, grosseira, refina constante;
é outra dimensão que se vislumbra
ainda que em matéria miúda

Alguns pontos agora são claros,
tendo foco e preciso:
não turva e nem embaça

A vida é graça de olhos fechados,
não vendo o mundo…
não vendo o mundo;
nem me compare, nem me compre

Desvendo o horizonte
sabendo do passado

Calmo, a claridade não me incomoda.
Debaixo de tudo, tudo que se crê demais
é fácil, fato, falso

É mentira que se fez acreditar
e da qual não topo rever, por comodidade;
mas, é a idade que chega – peneira da ignorância

A paciência faz criança nascer
faz o homem viver bem
e o velho morrer em paz

Não preciso mais
de óculos pra ver
o cristalino estado de
óculos sobre a mesa

Missionário

Em vida, sua missão, querida alma amiga
é, dada a sua mente esclarecida,
encaminhar os outros para o progresso
é o mais perto que se chega da luz

Da prece ao nome de Jesus,
conduz pra frente, vai adiante
ajuda o próximo, e próximo
enfrente tudo junto, vislumbre
novos ares, novas metas,
para além dos vales
que o progresso inverso remete

Encaminha, alma amiga e lúcida,
sua companhia sabe bem o que fazer,
a presença do seu ser é bravata,
também desbrava caminhos fechados,
é achado na vida dos outros

Entrega o que pode, avança no que der,
pega pela mão quem te procura, e não segura,
libera todos para que outros se aproximem
e não se liberte dessa missão

Tem a função de dar passagem
é passe que os outros precisam
um passo que só você pode ajudar
deixa correr, que você vai ver
a vida te dar outros horizontes
pra ver, sem te limitar

Provas

Diga a todos os seus, o seguinte:
adiante, não esqueçam da fé
seja no que quiser, diga a todos:
promova a fé, a esperança,
a autoestima, a confiança

Diga a todos os seus, o seguinte:
não é tempo de tristeza, ou de apatia,
não desacreditem na vida…
porque já houve tempo bom,
o melhor você já viveu e provou,
eis a prova que tanto pedem,
lembrem-se do passado

Mais feliz e mais sereno,
mais alegre e abundante,
lembrem-se dos sorrisos
e da fartura, da fortuna dos homens
não me vale um tostão, não é isso, não

A matéria é boa na matéria,
mas, é hora do espiritual,
é tempo de elevação,
da transição,
da transcendência…
paciência

Elevar-se não é simples, meu caro,
e não se compra, nem se vende,
como insistem em seus templos,
até os ditos mais humildes…
o mais simples de tudo
é compreender que é na falta de tudo
que se faz, do nada, um ser melhor

Visita seus sentimentos,
e seus defeitos, os seus traumas,
os seus medos, a sua vida inteira…
não precisa do corpo belo,
isso é passageiro,
a alma, verdadeira,
conhecerá várias matérias
afim de aprender muitos conteúdos
em várias formas, situações e frentes

Deus é onisciente porque reencarnou
em todas as experiências e viveu
a máxima da vivência, na morte plena;
e, ainda assim, se fez vivo na carne
para mostrar – aos seus olhos –
e se fez vivo – na alma eterna –
para mostrar a sua capacidade
de também ser alma eterna