Cumpra o que diz, ou então não diga

Não diga que vai embora se não for verdade,
não diga que vai pegar o carro e sumir
ou ficar trancada no quarto o dia todo,
não faça promessas que não queira cumprir.

Não minta que você explode por dentro,
não corra contra o vento
porque eu vejo no seu olho a porta do tormento.

Eu não amarro você a mim
sei que não és minha
afinal, você não é objeto.

se quiser ir e realmente sumir,
sabe que a porta fica logo ali.
Mas pense bem antes de caminhar,
uma vez fechada, a porta não mais abrirá,
e se no futuro olhar a janela dessa casa
poderá encontrar outra mulher disposta
a deixar ser amada.

2 comentários sobre “Cumpra o que diz, ou então não diga

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.