O colecionador e o conto do beijo

“O amor dá-se de duas formas: Quando você espera e quando você não espera…”

É engraçado… Às vezes me pego sorrindo sozinho ao volante. 40 km/h em uma estrada. São meus pensamentos que resolveram ultrapassar a velocidade máxima da via… Engraçado, quando eu te via. Você não sabia que eu lhe observava.

Discrição total de colecionador-contemplador de uma beleza que só nos é revelada com cautela. Você sentado num banco da escola com uma menina. A beijava deliciadamente, gostasa e um tanto timidamente. Vejo que suas bocas não se encontravam. Suas línguas não compareciam, seus lábios não se encaixavam. Era uma desarmonia de principiante. Mesmo assim se despediram felizes.

Cinco dias depois eu decidi, já desesperado com sua postura de esperá-la todos os dias que se seguiram ao primeiro contato, disser-lhe que ela não viria mais. Sentei-me ao teu lado sem dizer uma palavra sequer. Enfim você suspirou e desabafou: – Por que ela não vem mais? – Ela está tão perdida quanto ti.

Bastou para que ele se encontrasse antes de voltar àquele banco…. E quando por fim se achou, lá estava ela.

Hoje eu dirijo a 40 km/h sorrindo para o amor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.