Clichês de amor

Cansei dos clichês dos poemas de amor:
A mesma ótica sofrida, o mesmo olhar maroto,
os mesmos lábios mortos, o mesmo semblante vazio

Poemas de amor sempre carregam em si, na verdade,
um sofrimento sem sentido – irracional o humano –
– que de poemas de amor chora um romance sequer vivido

A dor de querer alguém, de esquecer uma paixão,
Separações de vidas sempre geram um poema de amor
E o engraçado do poeta é que até hoje não li nada,
em absolutao, que desfaça a parceria de amar a melancolia…

Então, no ápice do sofrer aquilo que não se tem,
ou o que se tem, e não se entende, vamos chorando
em versos, em cima de cadernos, sufocando nossos sentidos

Gostaria de saber um novo sentido para poemas de amor,
cansei dos clichês do sofrer de amores, afinal,
eles não servem para nos garantir um sorriso?
Por que poemas de amor sempre são regados às lágrimas dos sofridos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.