Fardos ilusórios

Pai, cuida de mim
eu já não sei mais pedir,
Você tem feito por dia,
não está no céu,
não olho pra cima,
Você vive do meu lado,
vira comigo até a esquina

Pai, eu aprendi
se não fizer por onde
a vida sabe, não adianta,
não se esconde em desculpas
Mas, se há luta verdadeira
a prece não precisa ser dita,
bendita é a vida em contrapartida

Pai, Você me ensinou
e eu aprendi, antes, na prática,
o que é desejo Seu, motivo do meu clamor
Pai, quando digo: cuida de mim,
Você já cuidou…

Pai, não há como mensurar a dor do próximo,
mas, Você sabe o que é cansaço de quem luta,
e de quem reclama por capricho, mimo de filho
que não encara a vida, e acha, e finge, e vive
dizendo que sabe vencer quando não há problema,
nem motivo, nem fato certo, nada de concreto
farto de ilusões…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.