Alma perigosa

Entendi errado o que você queria dizer
observei errado o que você queria mostrar
falei algo de errado quando não deveria falar.

Busquei um erro em você quando não deveria buscar
escrevia pra você quando não deveria ter escrito
perdi noites de sono quando não podia ter perdido.

Fui o maldito quando deveria ter sido
Fui seu anjo quando tudo estava perdido
Fui até seu vício, aquele maligno
mas me curei de tudo que não era bem-vindo,
menos você, veneno doce da minha alma fraca e vazia.

Já que mesmo querendo, de você não me livro
já que sou tudo que você gostaria de ter sido,
não me resta outra saída a não ser cair na sua armadilha,
que mesmo preso ficando, estarei sempre gostando
de ter uma morte lenta e saborosa,
definhando a sua e a minha, alma perigosa.

2 comentários sobre “Alma perigosa

  1. Woww….
    poesia, no maalto nivel romantísta!!!^^
    Adorei, escrevia até tempo atras com um traço bem marcante do romantismo, exato assim…
    mas com o tempo fui misturando romantismo com realismo, hoje escrevo mais no estilo pós-modernismo!!!
    Mas, de vez em quando escrevo no estilo romantista, é minha escola literária preferida!!!^^

    Abraço!

  2. Woww….
    poesia, no maalto nivel romantísta!!!^^
    Adorei, escrevia até tempo atras com um traço bem marcante do romantismo, exato assim…
    mas com o tempo fui misturando romantismo com realismo, hoje escrevo mais no estilo pós-modernismo!!!
    Mas, de vez em quando escrevo no estilo romantista, é minha escola literária preferida!!!^^

    Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.