Busca confusa, confusa busca

Eu ando por onde ninguém vê
se sumo, não fujo de você
Eu corro, não sei de que
e percorro a estrada do meu ser

Numa orla extensa e com muitas curvas
orla suja, que sobe e desce,
nem mesmo eu sei aonde dá.

As ondas à beira-mar
são marolas sem graça, sem vida,
até elas não têm perspectivas
de se tornarem grande algum dia

Quando surfo, na subida caio
e em areias ásperas esbarro
por isso volto a caminhar
na orla, deve ser meu lugar

Ser complexo repleto de dúvidas
algumas… como dizer…
não sei… apenas dúvidas

Eu busco novos estilos de vida
apenas para entender os que me cercam
não sei, se gostar de um,
torno minha vida ainda mais complexa

Confuso para si mesmo
a mim mesmo me conduzo
e a mim mesmo eu busco
nas andanças por esse mundo

Na praia fui um,
na água outro,
noutro momento serei mais um,
mais um nesse mundo louco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.