Em frente ao espelho

Encaixa os seus olhos nos meus olhos
e a sua boca na minha boca
encontre a sua mão com a minha face
a conduzir meu rosto no encontro de linguas

Aproxime seu peito do meu peito
que de agitos se repelem
cola o seu corpo no meu
unidos por suor e desejo

Entrelace mãos, pernas, cama e poema
a dama que de beleza se ostenta
hoje quer deixar os frescores de lado
e por cima, por baixo e por todos os lados
ser despida e consumida por si mesma
enfrente ao espelho do pensamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.