Lágrimas revividas

Já que não encontrei aquelas palavras
as que verdadeiramente e intensamente
diziam o que eu senti com uma suspeita de morte
eu vou escrever outro sentimento em palavras

Porque eu tive contato hoje com quem me feriu
e mesmo assim, ele nada sentiu pelo que fez
e talvez não perceba a dor que eu carrego

Hoje revivi aquele dia de novo
e as lágrimas que fogem dos meus olhos
sem cessar enquanto escrevo esse poema
não me deixam mentir que a ferida
ainda não fechou

Saber que a pessoa que mais me compreendia
iria partir sem me dar adeus
e perceber que pela ausência dela
eu já não lembrava da última conversa
não só me aturdia como me deixa desnorteado

Naquele fatídico dia eu não pensava
eu não dormia, eu chorava até às duas da manhã
eu rezava por um melhora desnecessária
eu implorava recuperação

Como uma criança que ajoelha à beira da cama
e olha as estrelas na esperança da piedade Divina
eu me via totalmente imune de correntes
Eu me entreguei louco e completamente
a qualquer crença que pudesse salvá-lo

Tudo por uma mentira
uma dor sem tamanho
por alguém completamente
inconsequente

E eu ainda tento ter piedade
dessa alma doente…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.