Sábado passado

Certa noite acordei de um pesadelo
e quando me vi consciente era meu suor sufocando
minha respiração acelerada falhando
minha garganta seca, queimando

Acordei de um pesadelo, sábado passado
tinha cheiro de sangue, de uma ferida qualquer
eram minhas lembranças de menino machucado
visitando minha mente de adulto amputado
de esperanças para um futuro feliz

Quando a caixa das lembranças me acordou
e saiu dali um palhaço assustador
com um sorriso falso nos lábios
por eu ter dado corda nas minhas lembras
eu acordei assustado

Era um sábado que eu quero esquecer
da farra com os amigos, das bebidas
da balada até ao amanhecer

Não há nada nesse mundo
capaz de tirar do meu peito essa dor que me consome
não resolve meus problemas fingir ser feliz ao anoitecer

As luzes de neón, o barzinho, um bem querer
o apoio dos amigos, Deus me livre de você
lembrança maldita de criança que vem me entristecer
faz da minha insonia doença cancerígena que parece não ter cura,
ou remédio que diminua o meu medo de lhe rever…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.