Aos poetas

Aos amigos que compartilham comigo
o domar das palavras, o enlaçar dos sentires
o convencimento dos prazeres e das loucuras

Aos poetas de esquina, entre cachaças, vinhos e vitaminas
por todos os senhores sábios, jovens maduros e às delicadas
para as minhas amigas poetisas, abençoadas, canção da palavra

Uma saudação aos lúgubres revoltados, que de tanto calados
falam em seus poemas em ira, amaldiçoando o mundo
entendo sua revolta, de filho e filha incompreendido

Se escreve em seu quarto, ao som do silencio interpessoal
ou se soma seus pensares com os lugares, amigos de criatividade
verdade, admiro cada um de vocês

Com seus jeitos, rimas e defeitos, na entrega do momento
têm a ousadia de revelar o que vem de dentro
em palavra e pela palavra, digo

Amigos poetas, que seria de mim sem vocês
loucura bateria à minha porta por ser só a pensar
encaminhar ao papel percepções tão profundas do mundo

———————————————————————————-

Com admiração por:

Jair Fraga Vieira Neto
Ricardo Rodrigues Resende
Paulo César Ribeiro Filho
Gabriel M.
Luan Otávio Fernandes Caetano
Marina Sandeville Stávale Joaquim
Saulo Carneiro da Costa
Mateus Araújo
Pablo Rezende
Ozeias Alves Junior
Marcos Mancini
Sarah Barreto Marques
Allanna Sanches
Jéfferson Mendonça
Alírio Guerra

5 comentários sobre “Aos poetas

  1. Max disse:

    Valeu irmão,pois graça á ti e somente contigo tenho uma amizade tão rica que só poderia ser mesmo definida em poesia,sempre melhorando no vocabulário,em cada palavra e sentimento,nobre e belo,obrigado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.