Esperas

Eu tenho mania de peseguição, e isso talvez te chateie,
mas eu vou te contar que o nome disso é preocupação.
Eu apenas quero cuidar de você, e fico te procurando,
fico talvez até te incomodando, mas é essa a minha forma,
a minha maneira, pelo menos agora, de dizer que te amo.

Porque se eu verbalizo esse sentimento muitas vezes,
por mais que seja real, e você não duvide,
por mais que a gente acredite nessa verdade…
Eu sei que atos falariam mais alto

Mas, infelizmente, eu não posso estar presente ao seu lado,
eu não posso cuidar das suas preocupaões e nem te abraçar,
mas eu sei que você precisa, na verdade, é disso.
E eu não minto quando digo que essa seria a minha vontade.

Eu espero que tudo fique bem com quem você ama,
porque só o amor é capaz de gerar aflição pelo outro.
Só o amor nos traz essa condição de esperar pelo outro,
de morrer aos poucos, e de querer feito louco a recuperação.

Só o amor tem essa intenção de se comunicar com os distantes,
de bem-querer o desconhecido, mesmo que seja nosso amigo
por consideração.

Eu espero que as coisas mudem, que as suas inquietudes
se acalmem, que todos possam mostrar que estão contigo,
que entendem a sua agonia, pois minha alegria,
meu grande querer é sua felicidade.

E que ela venha, que venha ainda que tarde, mas apareça,
porque quero contemplar a beleza do seu sorriso,
o vinco das suas covas, seu olhar tranquilo,
como um rio límpido a correr, dizendo que me adora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.