Primeiro amigo

Tenho pensado em você recentemente
como forma presente de gratidão
por ser você um presente
aquele que chamo de irmão

Tenho colhido de forma contida
as alegrias, as vitórias da vida
que Deus me deu

Por achar, por vezes que não mereço,
você tem sido a mão que me empurra
pra uma felicidade ao qual lutei
e agora, porque não sei, pela materialização,
acho que é muito pra mim

Você tem me provado que em meio a tantas falas falsas
e depois de muitas amizades renegadas, você tem me mostrado
que esperar tem valido a pena, que foi válido o sofrimento
para que nesse presente momento eu entendesse o porque
da força do bem-querer sincero, pela amizade que soma

Porque eu vivi de muitas que foram subtração
enganado por tantas invejas disfarçadas de mão amiga,
de uma mão que fingia me acolher, mas na verdade
colhia eram minhas aspirações na inveja cega da ingratidão

Você tem sido operação crescente de cumplicidade,
de um companherismo que não me suga, é pra você
que me doa tempo e conselhos, e não como aqueles
que de mim queriam apenas tirar proveito,
é a você, meu amigo primeiro, que eu desejo preservar

(Para Igor Calil)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.