Senil

Tua sede cede cedo ao meu desejo
almejo o beijo e me deleito
em conforto do teu peito
o porto disposto em barcos
e arco de ser o décimo quarto
a chegar perto

O elo incerto do perfeito hoje
que não termine o infinito hoje
que não cesse o amor eterno
o eterno agora da memória

Teus gracejos são oriundos
dos mais profundos sentires
do mais simples dos agires
inocência gentil

Tua experiência entre mil
é novidade generosa
pôr do sol sutil
romance idealizado
um e o outro
senil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.